sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Futuro



Virão muitos poemas, virão.
Poemas que cantarão o meu amor por você.
Que lembrarão os momentos de riso e poesia.
Virão poemas da separação absurda que é sempre  absurda no absurdo do amor.
Poemas e mais poemas a cada momento que eu fechar meus olhos e enxergá-la dentro de mim.
Assim como esse agora, virão poemas tristes. Pedintes e pequenos .
Ardentes como tudo que sai do corpo, saliva,pranto e amor. Mas  evapora.
Virão poemas do romance lindo e querido. Dolorido.

Vivido.

5 comentários:

Elizabeth disse...

Lindíssimo, as veses a dor e extremamente produtiva

Cosmunicando disse...

que venham todos os poemas... e neles a catarse, neles a cura.
;)

nydia bonetti disse...

Que venham muitos... E que nos libertem do absurdo. Sempre tão bom te ler, Neusa. bjo.

MIRZE disse...

Que venham os mais absurdos poemas e que lavem e levem para longe o desespero, deixando só a lembrança que também um dia se vai....espero!

Beijos NDORETTO!

Lindo demais!

Mirze

Adriana Karnal disse...

vou como todas, que venham eles.á_vida a_guardo.