domingo, 28 de novembro de 2021

Romântica

Adoro agendamentos porque me remetem a quase-acontecidos : Uma felicidade próxima Pessoas Encontros Preparar-me é de uma alegria tamanha Gosto do silêncio do desejo do imaginativo do gesto dos braços dados Passos para o infinito de uma porta que se abre com sussurros Sem anunciação

quinta-feira, 18 de novembro de 2021

Consulta

Lá eu ia ao cardiologista, para saber do aperto no peito e dos 87 batimentos do coração quando soube do desastre da cantora .Louca para fazer um eletrocardiograma e a técnica vem com uns grampos grandes, encaixa um em cada pé. Sobe para encaixar um em cada braço : - opa ! - que foi ? - perguntou delicadamente - moça, aí não posso. Nesse braço não posso tirar pressão, tomar injeção, N A D A NESSE BRAÇO. - Então, não dá pra fazer. - Não dá. Tirou os grampos. Eu com o olhar no nada. - Não existe mais eletrocardiograma com adesivos ?! - Só em hospital,eu acho. Mas a senhora entra em consulta ,conversa com o doutor. Mas vem cá, o que a senhora tem ? - Eu fiquei nervosa com a morte da cantora. O peito doeu. - A senhora era fã ? - Não. Mas doeu muito. Vou esperar na outra sala. Aqui é muito abafado. - Fique a vontade. Enquanto eu esperava,olhava as janelas fechadas ,o ar condicionado, tive impulso de fugir,cair fora. - Neusa Doretto! Um moço bonito o médico. Já tinha visto na internet. Contei tudo de novo. - Você tem pressão alta, diabetes? - Não, nada dessas coisas. Fiz várias cirurgias. Ele já foi tirando a pressão, me auscultando e rindo . -A senhora está ótima. O que houve foi uma descarga de adrenalina. Vou pedir um us da carótida para ver a circulação sanguínea. - Ok. Voltei com o mesmo olhar no nada. Vai ver se meu sangue está correndo na carótida. Tem jeito pra tudo nessa medicina. Eu só queria um eletrocardiograma !!!! Com adesivos.

A dona de estimação

Princesa, adotada por uma mulher ,um pouco fora dos padrões. Extremamente cuidadosa, vacinava anualmente, na mesma data,sua cachorra. Praticamente, "blindava ". Mas tinha um porém : cagava de medo de procedimento que fosse anestesia. Sentia calafrios só em pensar em morte de Princesa. E esse pânico foi tomando proporções gigantescas ,a tal ponto que resolveu fazer sessões de livramento espiritual. Livrou- se de algumas coisas, mas da pane de anestesiar a cachorra, não. Dia passava, dia vinha, e a cachorra já completara, no mínimo ,10 anos. Multiplicando por 7: princesa já estaria com 70 anos e uma limpeza de tártaro , agora, era questão de preparar sua velhice, deixar a saúde bucal em ordem. A dona de estimação se sentiu tão feliz de encontrar uma veterinária especialista em odontologia animal que,agora,sim, a coisa vai rolar. A anestesista também com larga experiência. É agora ou nunca. Medo superado, fez muitos exames na Princesa,: eletrocardiograma, ultrassom abdominal, pressão arterial, exames de sangue, uréia creatinina, colesterol, triglicérides,TGO e TGP. Resultados NORMAIS,dentinhos limpos. Pronto, Princesa! Pode envelhecer à vontade, Viva muito ao meu lado !!

sábado, 11 de setembro de 2021

Manhã

Levantei da cama cedo. Mas não acendi as luzes da casa. Quero manter a privacidade da penumbra,antes que todo mundo acorde com seus ruídos. Por enquanto, os passarinhos cantam e se ouve apenas a água escorrendo dentro dos canos. Que paz quando os homens dormem e calam suas bocas.

segunda-feira, 12 de julho de 2021

Vida escancarada

O guarda roupa tinha 3 portas de correr que deslisavam nos trilhos que eu limpava com toco de vela. O guarda roupa guardava a roupa que chegava da lavanderia, envolta ,cabides e plástico e a mim só cabia vestí-las ,olhar- me no espelho e ensaiar um poema. Era outra noite de Sarau, onde eu declamava poesia com a verve da atriz que sou. Era palco, tinha público e amigas. Era o prazer, a bebida doce e a conversa boa, solta, leve,feliz como nenhum outro dia. Era o momento sem falhas no coração. O guarda roupa tinha 3 portas que deslisavam nos trilhos lubrificados com vela. Outro dia, uma das portas saiu inteira nas minhas mãos. Agora ficou um guarda roupa, semi aberto. Vejo todos os dias as roupas aguardando ou na expectativa da próxima apresentação. E noto, somente agora, a história de cada roupa, de cada peça comprada para me encontrar com esta ou aquela mulher, para este ou aquele evento. Menina, minha biografia cabe no guarda-roupa.