terça-feira, 15 de novembro de 2011

desordem




ando vagabunda
oriunda
de nada
diluída
em
 água
em 
 vento
em
rio 

em
queda
em
ti

eu
passo .
           .
        

3 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Gostei do teu Ndoretto. De modo geral eu gosto da poesia sintética, apesar do meu trabalho ser mais esparramado.
Um abração. Tenhas um lindo dia.

POESIA NA ALMA. disse...

Bem fluida as palavras! Perfect!
Tenha uma ótima semana!

MIRZE disse...

A D O R E I!

Vou estar na crista da vagabundagem. Me aguarde!

Beijos

Mirze