segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Náufrago






















Toda vez que um amor acaba
O coração bóia na água parada

Roxo
frio

Em alto-nada.







NDoretto

4 comentários:

José Carlos Brandão disse...

Coitado do afogado.
Sorte que as ondas vão e vêm
e trazem-no de volta.

marinaCavalcante disse...

Gostei da criação "alto-nada".

Esses pobres corações procuram,
agora, mares calmos e mais quentes/
envolventes.

Um abraço e espero sua visita!!!

Mai disse...

E tudo fica solto e a deriva.

Abraços, querida.

Flá Perez (BláBlá) disse...

ai, que esse deu inveja, queria ter feito.