quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

closet

Amo esfarrapada como quem pede desculpas
pela salvação
desprovida de qualquer razão
Amo 
meio querendo ir
meio querendo ficar
amo pelo meio
pela estrada
pelo ar
Amo pouco:
metade da vida 
que tenho pra dar
Mas amo
inteira
à
beira de um ataque de nervos
você
desmanchando 
nos meus dedos

3 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Amiga Neusa, muito bom o teu poema.
Um abração. Tenhas uma linda noite.

Ana Claudia disse...

Gostei muito.

Lai disse...

lúdica obsessão…