quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Comestível


Preciso ser comida pelos seus olhos .
Digerida pelo seu coração.
Preciso alimentar o tronco.
Matar a fome de mim,em qualquer lugar de seu.
Onde eu caiba, encaixe e você goste
Pode ser pela poesia.
Ou pela conversa.
Até por uma boa lembrança.
Contando que você goste.
E lembre muitas vezes. Mas tantas vezes que fique confusa, nem sabendo o que sou em você.


( Lembra da lua? Ela é cheia . Redonda e pontual. Parece  meu relógio prateado na parede. Lindo.
  E sem lógica nenhuma. Porque  quando penso em você,eu perco o fio da meada. A hora, então, nem se fala. )

Neusa Doretto

5 comentários:

Evandro L. Mezadri disse...

Muito bem escrita, a foto deu um ar ainda mais poético a sua obra.
Grande abraço e sucesso!

Marcia David disse...

Poesia, sentimento, tudo junto, tudo lindo.
Amo!

Zélia disse...

Lua redonda e pontual. Toda minha! :D

Adriana Karnal disse...

ah, isso de perder o fio da meada....isso é efeito da lua,essa coisa prata.

Dilmar Gomes disse...

Bonito verso, bem trabalhado; num estilo bem definido.
Um abração. Tenhas um ótimo dia