sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Poema Póstumo


Porque pequenas que somos, não temos como não chorar a sua partida.Ficamos sem você, Rau, eu e todas as mulheres  do mundo. Porque você dava conta de nos amar a todas. Eu fui amada por você, como se eu fosse a única . Havia um poder sutil,delicado e generoso que caía da gola da sua camisa de linho branco....

Neusa Maria
6 janeiro 2011, Santo Amaro, São Paulo


2 comentários:

Teresa Azevedo, menina mulher. Prosa e Verso. disse...

Lindíssimo. Beijos

MIRZE disse...

NDORETTO!

No meio do caminho sempre tem um Rau que pensamos que é só nosso, e que nos ama como o amamos. Espero que seu Rau seja mítico como os meus. Choramos e sentimos mais que se existisse (quando é mítico).

Belíssimo!

Beijos

Mirze