sábado, 20 de julho de 2013

" de repentemente "





...E até aquele amor que não deu certo
Foi a coisa mais certa que eu tive
Meu Deus,se não é por amor,
porque é que se vive?

Amor a tudo
Ao acordar e ter o bucho farto
Ao dormir no calor do quarto

Amor pela existência
Pela graça cedida e rimada
que registra a aventura da vida
Mais nada!

Neusa Doretto

Um comentário:

รяª Nathalia disse...

Neusa eu ti acho tão sensivel!
Tem uma musica do cartola que diz +/- assim.
De cada amor restará cinismo.