quarta-feira, 27 de abril de 2011

In

Me ame por enquanto
Me beije por enquanto
Ilusório 
Infinitamente provisório
Ofegante e repetitivo
Outra vez, mais outra
Não sei quantas
Mas por enquanto mais vezes
Hoje e daqui a pouco
esfuziante e louco 
desejo ou sorte
ou
qualquer coisa de morte





5 comentários:

Moni. disse...

Na provisoriedade do amor, o desespero do eterno...

Versos lindos, cortantes, sentidos, que dão a cara à tapa: atire a primeira pedra quem não pensar assim!

Perfeito, querida!
Orgulha-me compartilhar dessa poesia!

Beijos,

Moni

Letícia Palmeira disse...

In memoriam ou ad infinitum, Neusa?

Me beije por enquanto
Ilusório
Infinitamente provisório
...
Isso faz muito bem.

Beijo pra tu.

Batom e poesias disse...

Neusa
Por enquanto é o que basta.
Que o "enquanto" seja eterno, enquanto dure.

Alguem já disse isso? rss
Adorei.

bjcas

Eder Asa disse...

E disse "não seja imortal, posto que é chama". E chama mesmo. Chama a gente, queima e mente!
Uma belezura rs
Beijos!

MIRZE disse...

Eu sabia que isso um dia aconteceria.

Um vulcão no peito e nossa Neusa.

E a fúria?

Beijos

Mirze