terça-feira, 14 de dezembro de 2010

processo


Mas eu não falo.
Eu fico entregue, só pensando
Daí parece que estou elaborando. Mas não: eu estou fluindo, me acabando em coisas, pessoas, chocolates, vinhos, ruas, beijos, soltando a pipa de tudo que faço na vida.
Tudo de uma vez só, puro delírio.   Aqui sou eu em plena anarquia.
Também parece que estou dançando. A liberdade é tanta que viro foto. Viro legenda. Viro texto. Fantasia. Como se eu andasse nua e ninguém visse. Só lesse.

3 comentários:

Batom e poesias disse...

"soltando a pipa de tudo que faço na vida".
Lindo, lindo lindo, Neusa!
Voejei por aqui.

Aproveitei para me atualizar e digo que "espólio" é uma das coisas mais belas que já li. Comoveu-me.

Estava com saudades.
A gente se desencontra nessa blogosfera, mas se acha de novo.
Bjs

Rossana

Í.ta** disse...

processo.

a gente passa por tudo isso.

beijos!

L. disse...

Intensidade!
Pensamentos!
E mais!

Gostei muuuuuuuuuito.