sábado, 15 de maio de 2010

Saudades




















Dos corpos misturados na vontade
de existir indefinidamente
pelo próprio tempo do sentimento
pela duração do olhar
pelo tom de voz
infinitamente tu
infinitamente nós


Neusa Doretto

2 comentários:

marinaCavalcante disse...

Hum... que sentimento é esse de saudade, hein?

Brilha, brilha, brilha dentro de nós...

acho que é o único brilho que eu desejo que
não permaneça indefinidamente em mim. =]

Só saudades é ruim...
bom mesmo é matar as saudades.

Um abraço! *Gostei. *Te espero em meu blog. ;*

Moni. disse...

Me identifico plenamente com essa saudade. Neusa. Ela até parece a minha. Acho que no fundo, todas as saudades tem um quê de parentesco.
Lindo, lindo...

Mas nem me fale em autorização, mulher!
Isso pra mim é uma honra!
Quem dera poder estar no dia, para prestigiar e me encantar também...

Beijo grande e ótimo domingo!