terça-feira, 20 de outubro de 2009

mal entendido




Eu não quis dizer nada
Eu quis outra coisa


Não a palavra


Neusa Doretto

5 comentários:

Wilson Torres Nanini disse...

O perfume que grita das entrelinhas silentes? era isso o que procurava?

Bem, a imagem, em mim, concebeu um poeminha. Se me permite:

Andorinha no fio.
A janela aberta enquadra
sinfonia de um só acorde.

José Carlos Brandão disse...

Por que, então, usamos palavras?

Sim, sem imagens não há poesia.
Mas como criar imagens sem palavras?

Talvez um perfume, talvez o mistério da tua pele, o toque dos teus lábios... Nem é preciso dizer.

A poesia busca o impossível: dizer o não-dito, e dizer sem dizer, as palavras do poema não são para dizer, mas para criar imagens.

Viu como sua poesia rápida provoca reflexões? Não para nela mesma.

Beijo.

uminuto disse...

porque as palavras podem ser dúbias
um beijo

Mara faturi disse...

...outra coisa...não falada;Isso é bom;)
bjo

Kenia Cris disse...

Ah, as palavras às vezes estragam tudo.

=)