quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Abraço


( Foto de Alves-Flickr)
Um abraço
quente
alegra
e não leva o bom da vida
nem o mistério
do amor solto no ar
que é
um balão
imenso
para
soltar!



Neusa Doretto

7 comentários:

susannah disse...

Um abraço é sempre um arraso. A gente quer sempre mais!
Bjs!

Nydia Bonetti disse...

Acho linda a imagem do amor balão... Bjs!

susannah disse...

Obrigada pelas palavras sobre o meu texto "deslizando na ponta da faca". Na verdade, fui muito sintética por lá e muita coisa acaba não sendo dita totalmente. A questão do verso longo ou do verso curto (nem trato disso por lá) nasce das intenções do poeta e do assunto e do modo como ele quer tratar do assunto. A questão toda deve estar no rigor formal, no cuidado com o tecer do verso, lembrando sempre que o ritmo é importante e é ele que determina os cortes e assim a métrica pode surgir como condutora, como plano de sentido do poema, pois sabemos hoje que métrica não é camisa-de-força do poema. Vc me fala em escolher palavras "claras" e não entendi o que vc quer dizer com isso. Clareza de sentido? Aspecto plástico e semântico do signo? ("água" parece uma palavra clara por causa das vogais abertas...") Eu não me preocupo com o leitor, preocupo-me com a linguagem e com os sentidos. A instância do leitor é complexa e não há como querer agradar a todos. E a questão não é agradar. É tecer as palavras. É dar-lhes a dinâmica que o uso comum não consegue extrair delas. É dar-lhes poder magnético, sincrônico, icônico, inaugural de uma fala, de uma visão sobre as coisas.
Um beijo!

...uma mulher... disse...

Amei novo lay-out
Amei o poema
Amei as fotos...

Amo!!!


Bjkks

Adriana Karnal disse...

Neusa,
adorei o poema. Um abraço é um balão...que lírico.

Marcelo Novaes disse...

Neusa,



Abraço bom
não rouba:
acrescenta.









beijos,









Marcelo.

sueli aduan disse...

Adorei o poema, a foto, o blog(maravilhoso)
Uma delícia "entrar" aqui.
abs